Ricardo Tamura, tenor

Ricardo Tamura
Tenor

"... Dono de uma voz afinadíssima, muito bem projetada, de belo timbre e rico fraseado, não seria exagero dizer que Tamura é um achado! Quantos tenores de alto nível temos no Brasil? Dois? Três talvez? Ricardo Tamura certamente faz parte deste seleto grupo..."
Leonardo Marques, movimento.com​

clique para download

O primeiro compromisso de ópera de Ricardo Tamura foi na Ópera de Zurique, onde ele foi membro da Opera Studio International. Desde então, tendo sido festejado pela imprensa local como "absolutamente seguro nas notas agudas" cantou mais de 50 papéis de ópera e opereta na língua alemã em casas como Welsh National Opera, Volksoper Viena, Deutsche Oper am Rhein, Kassel, Nürenberg, Weimar, Dresden, Colônia, Bonn, Detmold, Osnabrück.

Na temporada 2007/2008 sua versatilidade o levou a estrear na Ópera de Nuremberg no papel-título de Fausto de Gounod, seguido de Don Carlos de Verdi. Interpretou Don Jose em Carmen na Deutsche Oper Dusseldorf e teve grande sucesso como Calaf em Turandot no Volksoper de Viena.

Antes de se dedicar ao canto, Ricardo Tamura estudou geologia e física na Universidade de São Paulo. Depois de se graduar, estudou canto com Marlena Malas na Julliard School of Music, em Nova York por indicção de Licia Albanese. Ricardo finalizou seus estudos na Accademia Musicale Chigiana, em Siena e da Academia Verdiana em Busseto com Carlo Bergonzi especializando-se nas obras de Verdi e Puccini.

Seu repertório inclui papéis como Rodolfo, Pinkerton, Des Grieux, Cavarodossi, Radames, Riccardo Calaf e Otello, bem como papéis alemães como Bachus.

A primeira transmissão de rádio de um concerto de Tamura aconteceu em 2005, com a Orquestra WDR (Orquestra da Rádio da Alemanha Ocidental) na Opera Semper de Dresden. Em 2006, lançou seu primeiro CD com a gravação completa de Das Wundertheate, de Henze.

Compromissos importantes recentes incluem um concerto pelo 150º aniversário de Puccini com a Orquestra Filarmônica de Nagoya no Japão e um concerto ao ar livre para um público de 60.000 no Luitpoldhain em Nuremberg. Na temporada de 2009/2010, Tamura encarnou Don José e Rodolfo na Ópera Estatal de Hannover, Radames, Des Grieux e Bacchus o no Teatro de Gelsenkirchen, Bacchus no Festival Internacional de Ópera de Gera, Alemanha.

Estreou na Italia em 2009 como Radames em Aida na Arena di Verona. Tamura passou a integrar o elenco da Metropolitan Opera NY em 2012 como cover de Riccardo em Un ballo in Maschera e o papel-título de Don Carlo. Voltou ao a MET para fazer sua estreia como Cavaradossi em 2013 e para cantar o papel-título de Don Carlo em 2015 e Turiddu em Cavalleria Rusticana em 2016.

Correspondência Rua Conselheiro Nébias, 1501 - 50
São Paulo, SP
01203-002