João Guilherme Ripper, compositor

João Guilherme Ripper
compositor

João Guilheme Ripper é compositor, regente de orquestra, professor e administrador artístico.

Suas composições incluem canções, música de câmara, obra para piano solo, obras vocais, orquestrais e ópera e têm sido apresentadas frequentemente nas principais salas de concerto do Brasil e exterior.

Ripper recebeu o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) em 2000, pela ópera “Domitila”. Em dezembro de 2005, a Revista Bravo, em sua 100a edição, selecionou a ópera “Anjo Negro” como uma das 100 melhores produções musicais realizadas no Brasil, nos últimos anos.

Em 2008, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) encomendou e estreou “Desenredo”, para solistas coro e orquestra. Nesse mesmo ano, Ripper foi o compositor em residência do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, onde foram ouvidas diversas obras suas incluindo nova apresentação de “Desenredo” e a estreia de “Ohos de Capitu”, escrita especialmente para o festival.

Em 2012 a Orquestra Petrobras Sinfônica estreou com grande sucesso sua ópera "Piedade" sobre a vida de Euclides da Cunha. Em 2013 a OSESP estreou as "Cinco Canções sobre Poemas de Vinícius de Moraes", na Sala São Paulo, seu Concertino para Oboé, Fagote e Cordas teve suas estreia na OBOE FEST em Rosario, Argentina e sua obra Concertante para Piano e Orquestra, encomendada pela Orquestra Sinfônica Brasileira, foi estreada pelo pianista Jean-Louis Steuerman.

Em 2014 Ripper escreveu e estreou a ópera "Onheama", por encomenda do Festival Amazonas de Ópera, obra que também foi apresentada em Portugal.

Em 2015, por encomenda da Filarmônica de Minas Gerais, estreou sua obra "Jogos Sinfônicos" na temporada de abertura da nova Sala Minas Gerais.

De 2004 a 2015, João Guilherme foi Diretor da Sala Cecília Meireles. Sua gestão se caracterizou por novas séries de concertos, renovação de repertório, criação de ciclos temáticos, valorização da música brasileira e intercâmbio com instituições estrangeiras.
A convite do programa "Concert Artist" da Kean University, NJ, Ripper foi o compositor residente da temporada 2011-2012.

Em 2015 e 2016 João Guilherme foi o presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro. É presidente da Academia Brasileira de Música, onde ocupa a cadeira no 30, cujo patrono é Alberto Nepomuceno.

Correspondência Rua Conselheiro Nébias, 1501 - 50
São Paulo, SP
01203-002