Daniella Carvalho, soprano

Daniella Carvalho
Soprano

 "Daniella Carvalho is a charming performer who produces a lovely, lyrical sound. Both her singing and her stage presence have an ease and an elegance which immediately won over the large and enthusiastic audience." 
Harry Saltzman, New York Concert Review

clique para download

Daniella Carvalho tem sido aclamada pela crítica por sua "voz de timbre escuro e expressivo", bem como por "uma presença de palco inesquecível. "

2017 marca a estreia de Daniella no papel de Elizabeth em Tannhäuser de Wagner, ampliando seu repertório com papéis mais dramáticos.

Em 2016 Daniella debutou Adriana Lecouvreur em São Paulo, repetindo no Festival Amazonas de Ópera. Cantou a Messa da Requiem de Giuseppe Verdi em Manaus e no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Com a Orquestra do Theatro São Pedro em São Paulo, cantou obras de Samuel Barber: Knosville Summer of 2015 e Andromaches Farewell recitais de canto e piano com obras de compositors franceses e americanos. Com a Amazonas Filarmônica cantou um programa com grandes árias de Beethoven, Weber, Wagner e Verdi e terminou o ano com uma tourné na China, cantando em Le Nozze di Figaro e Liù em Turandot ao lado de Giovanna Casolla.

Em 2015 cantou a Floresta do Amazonas de Villa Lobos em Curitiba e em São Paulo com a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, debutou no Theatro São Pedro (SP) cantando Fiora em L'Amore dei Tre Re de Italo Montemezzi e interpretou Micaela no Taormina Festival na Sicilia e Aida no Teatro Comunale di Rovigo.

Em 2014, Daniella fez o seu debut na Russia na Opera de Kazan cantando Tosca e na Opera de Sofia na Bulgaria cantando Liu em Turandot. Na Italia foi aclamada pela critica como uma tocante e forte Micaela, “a melhor da noite”, no importante Ente Luglio Musicale Trapanese. No Mexico cantou Villa Lobos entre outros compositores com a Orquestra Sinfônica do Estado do México. Ainda em 2014, interpretou An American Tour, concerto com obras de Barber, Geswhin com a Orquestra Sinfonica de Sergipe e a Amazonicas Filarmônica, onde se deu a premiere brasilera de Andromache's Farewell. Fez seu debut como Manon Lescault no XVII Festival Amazonas de Ópera, onde também cantou Floresta do Amazonas, de Villa-Lobos.

Destaques de 2013-2012 foram Gerhilde em A Valquiria no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Amelia em Un Ballo in Maschera no XVI Festival Amazonas de Opera, Les Nuits d'ete com a Amazonas Filarmônica, Concertos Gala Verdi com a Orquestra Sinfônica da Bahia e a Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe e o seu debut no Theatro Municipal de São Paulo, cantando a Cozinheira em O Rouxinol de Stravinsky. Cantaou na Miami Lyric Opera como Cio Cio San em Madama Butterfly e Suzel em L'Amico Fritz. No Carnegie Hall cantou a Misa Azteca de Gonzales com a Mid America Productions e um Recital Solo em beneficio a Children's Heart Association. Ainda em Nova Iorque cantou na biblioteca do Lincoln Center como solista em concerto e na Romenia, foi finalista do Concurso Vox Artits International. Cantou também com a Orquestra Sinfônica Brasileira a premiere brasileira de Mata Atlântica de Ricardo Tacuchian e a abertura da Temporada da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto.

Entre os triunfantes papéis de Puccini, Daniella também cantou Suor Angelica e Mimi em La Bohème com a Opera in the Heights entre outras companhias.

Suas performances anteriores incluem Nedda em I Pagliacci, Condessa em Le Nozze di Figaro, Donna Elvira em Don Giovanni, Gretel em Hansel und Gretel,Segunda Dama em A Flauta Mágica, Manuela na Zarzuela de Luis Alonso, Cora Lee em Bake Shop Ghost, Pure Maud em Maud Powell, Giggly Girl em Fábulas de Aesops, Belinda em Dido e Eneas e Geraldine em A Hand of Bridge.

Daniella fez sua estreia em New York como vencedora do Artists International Competition at Weill Hall, Carnegie Hall. Desde então, passou a se apresentar concertos com as principais obras do repertório e também obras raras como a premiere brasileira de Luonnotar de Sibelius no Teatro Nacional de Brasília, Songs of a Wayfarer de Mahler com a New York Repertory Orchestra e Knoxville, Verão de 1915, de Samuel Barber com a Orquestra Sinfônica de Illinois. Daniella também se apresentou como solista no Stabat Mater de Pergolesi, Gloria de Vivaldi, Cantata de Strawinsky, Rejoice in the Lamb de B. Britten, Magnificat de Vivaldi e Salve Regina de Scarlatti.

Daniella já se apresentou em palcos na Itália, Áustria, Estados Unidos e Brasil, e em estações de rádio de New York como WNYC e Radio da Universidade de Columbia.

Daniella é natural de Rio de Janeiro, e concluiu seu Mestrado e Bacharelado em canto na Manhattan School of Music.

Correspondência Rua Conselheiro Nébias, 1501 - 50
São Paulo, SP
01203-002