Cleyton Pulzi, tenor

Cleyton Pulzi
tenor

O tenor brasileiro Cleyton Pulzi é reconhecido pela sua musicalidade e nobreza de timbre. Performances recentes incluem Alfred em “O Morcego” de Strauss sob regência de Roberto Minczuk, Basílio na ópera As Bodas de Fígaro no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, seu debut profissional dos Estados Unidos com a companhia OMAHA OPERA (Nebraska, EUA), e como Rodolfo na ópera La Boheme sob regência de Michael Palmer, no Teatro Rialto em Atlanta. Também trabalhou com o renomado maestro italiano Leonardo Vordoni, e em 2017 cantou no Concerto pelos 100 anos de Anton Coppola na Opera Tampa (Flórida, EUA), regido pelo próprio maestro.

Em Janeiro de 2014, Pulzi debutou com a OSESP na Sala São Paulo em concertos e gravação da Nona Sinfonia de Beethoven regida por Roberto Tibiriçá e logo após se mudou para os Estados Unidos onde trabalhou como solista em óperas e concertos em papéis como Reverendo Parris na ópera The Crucible de R. Ward e Conde Almaviva em O Barbeiro de Seviglia, etc.

Em 2013 estreou no Theatro São Pedro (São Paulo) no papel de Principe Ramiro na ópera La Cenerentola e cantou no Festival Amazonas de Ópera em Raposinha Astuta de Janacek, Parsifal de Wagner e O Morcego de Strauss. Em 2012 Pulzi debutou no Festival Amazonas de Opera como Arturo em I Puritani de Bellini sob regência de Luiz Fernando Malheiro e Marcelo de Jesus, e cantou Nona Sinfonia de Beethoven no Theatro Pedro II, de Ribeirão Preto. Também nesse ano, cantou na temporada inaugural do Festival International Opera Americas.

Pulzi debutou na Itália no Festival Montefeltro de Opera em 2011, como Ramiro de La Cenerentola sob a regência de Joseph Rescigno em Novafeltria, Cesena e na República de San Marino.

Antes de ir para a Itália, Cleyton apresentou um recital em Atlanta, EUA no teatro Rialto, parte do premio de 1° lugar que ganhou em 2010 no concurso Internacional Bauru-Atlanta Competition.

Outros papéis do seu repertório incluem Tamino em “A Flauta Magica”, Bastien em “Bastien und Bastienne”, Rei Gaspar em “Amahl e os Visitantes da Noite” e Rinuccio em “Gianni Schicchi”, Empresário em “Der Schauspieldirektor”. Cleyton tambem ja se apresentou como solista sob regência de Claudio Cruz no Stabat Mater de Dvorak.

Em 2005 foi selecionado como melhor jovem cantor masculino no concurso “Edmar Ferretti”. Também ganhou o primeiro premio do 1° Concurso de Canto do Rotary Club de São Paulo e foi enviado para a 4a edição do International Rotary Opera Competition em Lisboa, Portugal. Em 2010 Cleyton foi o unico brasileiro classificado para as semifinais do Concurso “Jaume Aragall” em Sabadell, Espanha. Cleyton foi também finalista do Concurso Merolla da San Francisco Opera, EUA em 2015.

Cleyton é graduado pela Universidade de São Paulo e mestre pela Georgia State University, EUA.  

Correspondência Avenida Paulista,171 4º Andar
São Paulo, SP
01311-000