Luciana Bueno

mezzo-soprano

Luciana chamou a atenção do público quando venceu o tradicional concurso Jovens Solistas, promovido pela OSESP, cantando sob regência do maestro Eleazar de Carvalho.

Atuou nas óperas Don Giovanni (Donna Elvira), Il Barbiere di Siviglia (Rosina) sob direção de Enzo Dara, O Mikado (Katisha), João e Maria de Humperdinck (João), Os Contos de Hoffmann (Giulietta), Falstaff (Meg Page), Cavalleria Rusticana (Lola), Otello de Rossini (Emilia), A Danação de Fausto (Marguerite), I Capuleti ed I Montecchi (Romeo), La Cenerentola (Cenerentola), Lady Macbeth de Mtzenski (Aksinya), Magdalena, de Villa-Lobos (Teresa), O Menino e os Sortilégios, de Ravel (Mãe, Xícara Chinesa e Libélula) e The Turn of the Screw, de Britten (Miss Jessel).

Participou das estreias mundiais das óperas brasileiras O Cientista, de Silvio Barbato, (Mulher), Poranduba, de Edmundo Villani-Cortes (Mãe) no XI Festival Amazonas de Ópera, e O Menino e a Liberdade, de Ronaldo Miranda, (Mãe) no Theatro São Pedro, em São Paulo.
Apresentou-se na Royal Opera Canadá como Suzuki em Madame Butterfly.

Seu repertório sinfônico inclui participações como solista no Gloria (Vivaldi), Missa em Dó Menor (Mozart), Messias (Häendel), Requiem (Verdi), Missa em Dó Maior e Nona Sinfonia (Beethoven), Lobgesang (Mendelssohn), Sete Canções Populares (Manuel de Falla), além de recitais que incluem música brasileira e barroca.

Reconhecida e requisitada intérprete de Carmen (Bizet), apresentou-se em montagens no Teatro Alfa, Teatro Amazonas, Palácio das Artes, Theatro São Pedro, Teatro Guaíra, Theatro Municipal de São Paulo e Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 2010 estreou em Teatro Musical como Lady Thiang na peça O Rei e Eu sob direção de Jorge Takla. Apresenta-se regularmente como protagonista de ópera ou solista em concertos nas principais casas de concerto e teatros do Brasil.

Luciana Bueno foi aluna de Leilah Farah e Pier Miranda Ferraro (Itália), tendo estudado repertório operístico com Abel Rocha e Vânia Pajares. Atualmente desenvolve seu repertório com Ricardo Ballestero.

Crítica

"...Luciana Bueno destacou-se como a chef Teresa, personagem construída com tempero certeiro entre graça e emoção."
Magdalena (H. Villa-Lobos), Teatro Municipal de São Paulo 2012
Sidney Molina, Folha de São Paulo, fevereiro 2012

 

"A mezzosoprano Luciana Bueno foi uma coadjuvante de luxo e, como o fantasma de Miss Jessel, teve uma excelente atuação.  Com uma voz bastante segura e musical, dividiu com a protagonista aquela que, para mim, foi a melhor cena da noite (a terceira do segundo ato)"
The Turn of the Screw, Teatro São Pedro 2013
Leonardo Marques, movimento.com, junho 2013

 

ver tudo...

Vídeos

  • La Cenerentola
  • Carmen - Seguidilla
ver tudo...